Shodoka – O canto do Satori imediato – Yoka Daishi

Sho significa “experimentado, evidente, certificado” e, às vezes, “satori”. Do significa “o caminho”, o verdadeiro espírito, o verdadeiro ego, a vida eterna, universal.  O Shodoka é um dos quatro textos essenciais do Zen. Os outros são o Shin jin mei, escrito anteriormente pelo Mestre Sosan, o Sandokai do Mestre Sekito, e o Hokyo zunmai, do Mestre Tosan, que lhe são posteriores.Estas são as quatro obras essenciais para se conhecer o Zen. Vejamos como o conceito do Satori se espelha em terapias como, por exemplo, o Reiki. O Mestre Mikao Usui disse que a prática dos Gokai (cinco princípios) era um caminho para atingir o Satori (iluminação).

A não forma não é nem ku nem não-ku;
é a verdadeira forma do Buda.
O espelho do espírito é puro
e nada pode ofuscá-lo;
por sua pureza e claridade,
ele reflecte todo o universo

Ku é a vacuidade, o vazio, a não forma é Muso, que inclui a existência e não-existência, o grande e o pequeno. Se sorrirmos diante do espelho ele sorri para nós, a nossa forma sorri para nós. Se o nosso espírito for o espelho, se brilharmos como Buda, iluminados como o Satori, então podemos realmente nos conhecer. A reflexão encontra-se não nas palavras mas no que sentimos, no que nos entregamos.

Este livro é editado pela Pensamento/Cultrix e importado pela Dinalivro. Podem ver o livro aqui…